Ratones terá deck de madeira e elevador para facilitar acesso à fortaleza

10/03/2022 10:22

A passagem de madeira irá contornar parte da fortaleza, entre a murada e o mar. Imagem: divulgação IPHAN

A estrutura para visitação da Fortaleza de Santo Antônio de Ratones, na Ilha de Ratones Grande, está mudando. Com as obras de restauração e requalificação do monumento, serão instalados novos equipamentos, incluindo um deck, que começou a ser construído neste mês, e um elevador. As obras são custeadas pelo Fundo de Defesa dos Direitos Difusos, com projetos, contratos, gestão e fiscalização da superintendência do Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) em Santa Catarina. A Coordenadoria das Fortalezas da Ilha de Santa Catarina (CFISC), da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), dá apoio logístico ao trabalho e prepara um plano para reabertura da fortaleza à visitação.

ATENÇÃO: em decorrência das obras, a fortaleza não pode receber visitantes por enquanto.

O deck de madeira contornará parte da murada da Fortaleza de Santo Antônio de Ratones. O acesso será pelo próprio trapiche de desembarque na ilha. Além de facilitar o acesso à fortificação, o deck irá permitir que visitantes apreciem o monumento de um novo ângulo, mais próximo às muradas de um lado e com vista para o mar do outro.

Imagem: divulgação IPHAN

Ao final da passarela, haverá um elevador para acesso à parte superior, onde ficam os edifícios da fortaleza – Casa dos Oficiais, Quartel da Tropa, Casa do Comandante, entre outros. Ainda será possível visitar a fortificação desembarcando pelo trapiche e subindo pela rampa de pedras original, que chega até a portada.

Ao final do deck, um elevador permitirá o acesso à parte superior da fortaleza. Imagem: divulgação IPHAN

Por conta da grande intervenção necessária da obra, ainda não é possível abrir a fortaleza à visitação pública. Os trabalhos envolvem não somente a instalação de novos equipamentos, mas também restauro e recuperação de edificações, requalificação de espaços expositivos, iluminação, paisagismo e outras intervenções de melhoramento de infraestrutura.

Além da Fortaleza de Santo Antônio de Ratones, a Fortaleza de São José da Ponta Grossa também passa por obra de restauração e requalificação. Ao todo, o investimento chega a R$ 12 milhões para as duas fortalezas. Embora estejam fechadas à visitação desde o início da pandemia da Covid-19, a CFISC trabalha em um plano de reabertura tão logo seja possível conciliar as diferentes questões – como a segurança sanitária e as obras.

Obras envolvem a restauração dos edifícios, como a Casa dos Oficiais. Foto: Jaci Valdemiro Nunes

 

Este é o segundo restauro das fortalezas

A Fortaleza de São José da Ponta Grossa e a Fortaleza de Santo Antônio de Ratones estão passando pela segunda intervenção de restauro. A primeira foi no início da década de 1990, dentro do Projeto Fortalezas da Ilha de Santa Catarina – 250 anos na História Brasileira, sob a coordenação da UFSC. Com as obras daquela época, os monumentos tiveram muitas de suas edificações recuperadas do abandono em que se encontravam. Após o restauro, as fortalezas passaram a receber visitantes e se tornaram importantes pontos turísticos da região.

A Fortaleza de Santa Cruz de Anhatomirim, localizada no município de Governador Celso Ramos, e a Fortaleza de Nossa Senhora da Conceição de Araçatuba, em Palhoça, também receberam obras do então Projeto Fortalezas da Ilha de Santa Catarina – 250 anos na História Brasileira.

Guaritas e muradas passam por recuperação na Fortaleza de Santo Antônio de Ratones. Foto: Jaci Valdemiro Nunes

 

Madeira para construção do deck chega à Fortaleza de Santo Antônio de Ratones. Foto: Jaci Valdemiro Nunes

Tags: Fortaleza de Santo Antônio de RatonesFORTALEZASfortalezas da ilha de santa catarinafortificaçõesIPHANRestauração